O que é a Dermatite Atópica ou Eczema?

A dermatite atópica, também conhecida como eczema, é um problema de secura, descamação e vermelhidão da pele. O tratamento da dermatite atópica consiste geralmente na aplicação de hidratante e pomadas terapêuticas. 

A Dermatite atópica também conhecida como eczema é uma doença inflamatória da pele que atinge as camadas superficiais. É uma doença de curso crónico, recorrente e muitas vezes tem uma componente hereditária.

O desenvolvimento da dermatite atópica não é totalmente compreendido, contudo a genética parece desempenhar um papel importante. Na maioria das pessoas com dermatite atópica há uma anormalidade genética na camada mais externa da pele, chamada epiderme. A epiderme é a primeira linha de defesa entre o corpo e o meio ambiente. Quando a epiderme está intacta, ela impede que irritantes ambientais, alérgenos e micróbios entrem no corpo e evita que a pele perca muita água. Em pessoas com eczema, essa barreira é menos forte e mais permeável do que deveria.

A dermatite atópica não tem cura, e tem um caráter recorrente com períodos de alívio e agravamento. A maioria das pessoas com dermatite atópica desenvolve os seus primeiros sintomas na infância, antes dos cinco anos de idade. Comichão intensa na pele, vermelhidão ou manchas e descamação da pele são sinais e sintomas comuns. A comichão pode ser mais percetível à noite.

A dermatite atópica deve ser classificada de acordo com a sua gravidade:

  • Ligeira: áreas de pele seca, pouco prurido, pode apresentar ou não áreas de vermelhidão. Pouco impacto nas atividades do dia a dia, no sono e no bem-estar psicológico.
  • Moderadas: áreas de pele seca, prurido frequente, pode apresentar ou não áreas de vermelhidão e espessamento da pele. Geralmente com impacto moderado nas atividades do dia a dia e no bem-estar psicológico, pode provocar distúrbios de sono.
  • Severa: áreas extensas de pele seca, com prurido intenso, vermelhidão, pode apresentar áreas com escoriação, sangramento, espessamento e/ou alteração da pigmentação. Tem impacto significativo nas atividades do dia a dia e no bem-estar psicológico.

O tratamento otimizado da dermatite atópica ou eczema deve incluir a eliminação de fatores desencadeantes, o restauro da barreira cutânea e a hidratação da pele, a capacitação do doente e o tratamento farmacológico da inflamação cutânea.

Os fatores desencadeantes da dermatite atópica ou eczema, incluem:

  • Banhos excessivos
  • Falta de hidratação cutânea
  • Ambientes frios ou secos
  • Transpiração
  • Stress emocional ou ansiedade
  • Secura cutânea
  • Exposição ao calor
  • Exposição a certos produtos químicos ou soluções de limpeza, incluindo sabões e detergentes, perfumes e cosméticos, lã ou fibras sintéticas, poeira, areia e fumo de cigarro.

A hidratação da pele deve ser mantida com emolientes ou cremes, que devem ser aplicados pelo menos 2 vezes por dia e sempre após o banho ou lavagem das mãos.

Devem ser preferidos os cremes gordos, com baixa percentagem de água ou pomadas que não contêm água, uma vez que protegem melhor da desidratação cutânea ou xerose. As loções, embora sejam menos eficazes, podem ser utilizadas em doentes que têm dificuldade em gerir a sensação de pele gordurosa provocada pelos cremes gordos e pomadas.

Os produtos utilizados para o tratamento da inflamação da pele devem ser prescritos pelo seu médico de acordo com a sua situação clínica específica e podem incluir:

  • Corticoides tópicos – são utilizadas nas formas ligeiras a moderadas da doença e existem em diferentes dosagens e formulações. Estes cremes ou pomadas são geralmente aplicados na pele, uma ou duas vezes por dia, e ajudam a reduzir os sintomas e a hidratar a pele. Os corticoides tópicos fortes podem ser necessários para controlar as crises graves de eczema, no entanto, devem ser usados ​​por curtos períodos de tempo para evitar o afinamento da pele.
  • Inibidores dos leucotrienos – são eficazes no controle do eczema, embora não funcionem tão rapidamente quanto os corticoides tópicos. Podem ser utilizados em áreas sensíveis, como o rosto e as virilhas, e podem ser usados ​​em crianças com mais de dois anos.
  • Corticoides orais – geralmente utilizados por curtos períodos de tempo para controlar o agravamento severo da doença.
  • Fototerapia – a terapia com luz ultravioleta é eficaz, mas está reservada a casos severos devido ao seu custo e risco aumentado de cancro cutâneo.
  • Medicamentos biológicos – geralmente utilizado em adultos e em casos que não respondem a outro tipo de tratamentos.
  • Imunossupressores – geralmente utilizados em adultos e em casos que não respondem a outro tipo de tratamentos.
  • Anti-histamínico orais – são utilizados como medicação de suporte para ajudar a reduzir a comichão.

Por Ana Luís Pereira | Médica de Família

Subscreva a nossa newsletter para receber as novidades em primeira mão!
Parceiros e Patrocinadores

    Contactos

    geral@wiselife.pt

    Wiselife | Todos os direitos reservados | Copyright © 2021
    Política de Privacidade