Cuidados com a pele para os pacientes com dermatite atópica

Saiba como diminuir a frequência e a intensidade das suas crises

O tratamento da dermatite atópica, ou eczema, depende da gravidade e da extensão corporal da doença (área pequena, localizada vs áreas maiores, generalizada), bem como do prejuízo / dano que esta está a causar na vida destes pacientes.

Independentemente da gravidade das lesões, os cuidados a ter com a pele são comuns a TODOS os pacientes com dermatite atópica, e são a base do seu tratamento. Estes cuidados podem diminuir a frequência e a intensidade das crises, o que os torna muito importantes na gestão desta doença crónica.

Um momento muito importante é o banho! Estes pacientes têm a sua barreia cutânea alterada, por isso, devem ser evitados os banhos quentes e demorados, para não agravar a secura e irritação da pele.

O banho deve ser rápido, tendo no máximo 5 minutos, e com temperatura igual ou inferior a 32ºC. Estão recomendados sabonetes suaves, líquidos que removam o mínimo possível a barreira cutânea, sem perfume, sem corantes. O sabão / sabonete deve ter um pH mais ácido, entre 4,5 e 5,5, de forma a equilibrar o pH mais alcalino que se encontra na dermatite atópica. O doente com dermatite atópica deve usar a ponta dos dedos para lavar suavemente a pele e evitar o uso de esponjas. A pele deve ser seca com uma toalha suave e sem fricção.

O champô também deve ser sem perfume, com poucos corantes e pouco sal (sulfato de sódio). Pode ser benéfico procurar na composição dos produtos se possuem determinadas substâncias que são calmantes como o zinco, o mentol ou a aveia.

Outro momento extremamente importante é após o banho: deve sempre ser aplicado um creme hidratante específico para pele atópica, para refazer a sua barreira cutânea. O uso de hidratantes 1 ou 2 vezes por dia contribui para a manutenção da pele hidratada e com menos prurido (“comichão”). Este creme deve ser adequado ao tipo de pele, por isso estes pacientes devem privilegiar as linhas específicas para pele atópica.

Deve ter em atenção que o mesmo paciente pode ter diferentes tipos de pele consoante a região que estamos a falar. Assim, nem sempre o mesmo produto é benéfico para todas as regiões do corpo. Na pele oleosa deve preferir produtos “oil-free”, séruns, loções, hidratantes menos espessos e na pele seca usar preferencialmente hidratantes gordos, como cremes ou bálsamos.

Deve evitar coçar as lesões, e controlar o prurido recorrendo ao uso de loções calmantes. Ao coçar a pele está a causar escoriações o que leva a alterações na pele, que por sua vez aumentam o prurido, e assim se perpetua um ciclo vicioso de agravamento da situação.

Relativamente aos cuidados depilatórios, se usar creme depilatório ou cera, deve escolher uma linha específica para peles sensíveis, e testar primeiro numa pequena área (para confirmar que não causa qualquer tipo de irritação ou alergia), e só depois aplicar em toda a área corporal pretendida. Quanto ao uso de lâminas, estas devem ser evitados nos casos de alergia ao níquel, porque pioram a dermatite. O laser não está contraindicado, mas, tal como para qualquer outra situação depilatória, recomenda-se previamente o reforço da hidratação com aplicação 2 vezes por dia durante uma semana, para evitar mais lesões na pele.

Os pacientes com dermatite atópica podem viajar à vontade, mas devem ter em atenção que os locais muito quentes aumentam a sudorese (que pode piorar a dermatite) e os locais muito frios secam a pele (também com agravamento da dermatite). Assim, o que se recomenda é que levem sempre consigo os seus produtos de higiene habituais (gel de banho, champô, protetor solar mineral, hidratante, loções) e evitem utilizar os produtos do hotel, que muitas vezes são perfumados.

Por Sílvia Falda | Dermatologista

Subscreva a nossa newsletter para receber as novidades em primeira mão!
Parceiros e Patrocinadores

    Contactos

    geral@wiselife.pt

    Wiselife | Todos os direitos reservados | Copyright © 2021
    Política de Privacidade