Cuidados com a pele para o paciente com psoríase

Saiba como melhorar as suas placas e crostas

O doente com psoríase tem um papel central na diminuição da gravidade, frequência e recorrência das crises. Alguns cuidados com a pele contribuem de forma preponderante nesse sentido.

O reforço da hidratação da pele contribui para a menor probabilidade de aparecimento de placas. Um dos aspetos mais importantes do tratamento é manter a pele bem hidratada, especialmente após o banho, e para tal deverá ser utilizado um creme gordo, pomada ou bálsamos à base de glicerina, vaselina ou ureia.

Os banhos devem ser rápidos e com água tépida / morna (máximo 32ºC). A hidratação após o banho é extremamente importante e deve fazer parte da rotina diária.

O tratamento deve ser pró-ativo, ou seja, mesmo quando o paciente não está em crise, as pomadas terapêuticas habituais podem ser usadas duas vezes por semana por forma a evitar que as lesões reapareçam. A hidratação diária da pele deve ser mantida durante todo ano, mesmo na ausência de lesões.

Na escolha dos produtos de higiene, como o champô ou o sabonete, devem ser preferidos os que contêm menos corante e menos perfumes. No caso de lesões muito espessas e secas, tipo crosta, pode ser necessário o uso de champô com propriedades queratolíticas, de forma a facilitar a “descamação” destas crostas. O doente com psoríase não deve tentar remover as crostas de forma forçada, pelo risco de sangramento. O sabonete ou gel de banho devem ser hidratantes e suaves. O paciente deve ter cuidado para não traumatizar a pele, quer ao lavar quer ao secar, evitando, por exemplo, a fricção com a toalha.

As lesões de psoríase tendem a melhorar com a exposição solar. Temos dois tipos de radiação solar: a radiação UVA, que existe ao longo de todo o dia e a radiação UVB, que existe no “pior” horário, entre as 10h e as 16h. No entanto a radiação UVB é a que mais impacto tem na melhoria das lesões de psoríase. Assim, para que seja benéfico para as lesões, mas sendo prudente para evitar cancro de pele, uma pessoa com psoríase deve apanhar apenas 15 minutos de sol no pior horário (UVB), sem proteção solar, uma ou duas vezes por semana, não devendo exagerar nesta exposição. Além disso necessita evitar as queimaduras solares, uma vez que estas funcionam como qualquer traumatismo, podendo aparecer novas lesões de psoríase no local traumatizado.

O protetor solar deve ter um fator de proteção (FP)50, e deve ser um creme gordo para ser mais fácil de espalhar em toda a pele.

Pelo contrário, durante o inverno, a psoríase agrava uma vez que o frio seca a pele e há uma diminuição da exposição solar.

Nos casos da depilação, o paciente deve ter o cuidado de hidratar a pele duas vezes por dia, uma semana antes de se depilar, e evitar produtos que causam trauma como por exemplo a cera. O recurso ao laser pode até melhorar as lesões, por também ser uma fonte de luz.

Além destes cuidados, a diminuição dos fatores de risco tem também um efeito benéfico. Assim, deve ser evitado o consumo de álcool e tabaco, procurar uma redução os níveis de stress, por exemplo através da prática de exercício físico, e evitar traumas da pele.

Em caso de viagem, os pacientes com psoríase devem ter o cuidado de levar os cremes que costumam usar: o hidratante, o protetor solar; bem como a medicação usada em caso de agravamento das lesões. Habitualmente a psoríase melhora durante as férias devido à redução do stress.

Por Sílvia Falda | Dermatologista

Subscreva a nossa newsletter para receber as novidades em primeira mão!
Parceiros e Patrocinadores

    Contactos

    geral@wiselife.pt

    Wiselife | Todos os direitos reservados | Copyright © 2021
    Política de Privacidade